Opinião

O Posicionamento que muitos aguardam

O ano que se aproxima será um ano de definições importantes e também início de uma pré-campanha eleitoral com vistas ao pleito de 2020 em Castelo do Piauí. Todos os políticos do município, apesar de se movimentarem no sentido de pavimentar o caminho que desejam alcançar, ainda estão retraídos e isso não é só por causa da distância temporal para o processo eleitoral, mas também por que muitas decisões dependem de como o jogo se apresentará.

Osmano Moura com a presidente do Diretório Municipal do PSB de Castelo do Piauí e o deputado estadual Wilson Brandão 

É muito aguardada a chegada do empresário castelense Osmano Moura nesse final de ano. Osmano não assume uma condição de político, representa um filho da terra que apesar de ter vida fora continua muito presente no seu município natal. Pode ser que essa presença seja tão somente por apreço a familiares e amigos, mas pode ser também que seja além disso, um projeto de construção de uma carreira política. O fato é que o empresário é muito discreto e não dá demonstrações claras se pretende ou não ingressar na política, porém em conversas com diversas lideranças políticas locais tenho observado que muitos aguardam uma definição por parte dele.

Osmano Moura pode ser caracterizado como um “outsider”, alguém que não faz parte do mundo da política, porém dentro do seu ciclo mais próximo de amizade estão muitos políticos. Atualmente o empresário é filiado ao Partido Socialista Brasileiro (PSB) que é presidido pela suplente de vereadora Lúcia Helena e conta com dois vereadores, o atual presidente da Câmara, Jadeilson Pereira e o vereador licenciado para assumir a secretaria municipal de infraestrutura, Raimundinho Mineiro. 

O simples fato de Osmano se definir como político, mesmo que não pretenda ser candidato em 2020 já é suficiente para a tomada de decisão de muitos políticos. Se o empresário assumir publicamente que tem pretensões políticas poderá aglutinar em torno do seu nome um grupo de lideranças insatisfeitas e incomodadas dentro do grupo situacionista, assim como insatisfeitos dentro do grupo majoritário de oposição.

Osmano tem um perfil que o credencia a participar do pleito eleitoral, caso seja seu desejo. É um empresário de sucesso, não tem desgaste político, representa uma tendência que ainda não chegou ao Nordeste, mas que elegeu na última eleição governadores que não eram da política como Zema, em Minas Gerais; Ibaneis no Distrito Federal; Denarium em Roraima; Witzel no Rio de Janeiro, todos novatos na política e representantes de um grupo que contesta a política tradicional. 

Uma candidatura majoritária viável é algo que não depende somente do desejo pessoal do candidato, deve ser construída a partir de um sentimento de grupo, mas o primeiro passo é a demonstração de interesse do político que pode chegar a uma disputa desse tipo. Osmano não precisa dizer agora se pretende ser candidato, mas o simples fato de indicar interesse pela política já abre espaço para a construção de um grupo de apoio formado por grande parcela da classe política e também de eleitores que podem impulsionar seu nome.

Sobre o autor | Website

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!